Instituto Siegen design by
IntersisT
Instituto de Pesquisas Acadêmicas Siegen
Instituto Siegen
 
 
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
 
 

BALANCED SCORECARD NO PROCESSO DE INTEGRAÇÃO DO TERCEIRO SETOR

Esse trabalho teve por objetivo analisar a aplicação do Balanced Scorecard (BSC) em uma instituição do 3º setor, para tanto foi constituído um referencial teórico básico, sobre o BSC e sobre o terceiro setor. O Balanced Scorecard surgiu de um estudo entre diversas empresas, intitulado “Measuring Performance in the Organization of the Future”, motivado pela crença de que os métodos existentes para a avaliação do desempenho empresarial, em geral apoiados nos indicadores contábeis e financeiros, estavam se tornando obsoletos. O Balanced Scorecard preserva as medidas financeiras e as não financeiras. Mas as medidas financeiras contam a história de acontecimentos passados – adequada quando os investimentos em capacidades de longo prazo e relacionamento com clientes não eram fundamentais para o sucesso. Entretanto, só as medidas financeiras são insuficientes para orientar e avaliar a trajetória que as empresas devem seguir na geração de valor futuro investindo em clientes, fornecedores, funcionários, processos, tecnologia e inovação. As medidas financeiras são complementadas com medidas dos vetores que impulsionam o desempenho futuro. Os objetivos e medidas derivam da visão e estratégia da empresa e focalizam o desempenho profissional e organizacional, segundo Kaplan (1997), sob quatro perspectivas: financeira, mercado, processos internos e aprendizado e crescimento. Essas quatro perspectivas ligadas entre si por meio de uma relação de causa e efeito. Esses indicadores visam mensurar os chamados “ativos intangíveis” da organização (satisfação de clientes, motivação de funcionários, qualidade de processos internos e outros), tidos hoje como a principal vantagem competitiva frente à concorrência. O presente trabalho aborda o desenvolvimento e o progresso econômico e a prosperidade social nas organizações não governamentais, aplicando-se para isso ferramentas de Administração como o Balanced Scorecard e o PMI. O estudo de caso, a base metodológica consistiu na pesquisa bibliográfica em periódicos nacionais e internacionais. Após a revisão bibliográfica, tratando-se de um estudo de caso, uma investigação empírica de um fenômeno contemporâneo dentro do contexto da vida real. Para YIN (2002:32-33) “Um estudo de caso é uma investigação empírica que: investiga um fenômeno contemporâneo dentro do seu contexto da vida real, especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definidos”, e o autor acrescenta: “a investigação de estudo de caso enfrenta uma situação tecnicamente única em que haverá muito mais variáveis de interesse do que pontos de dados, e, como resultado, baseia-se em várias fontes de evidências, com os dados precisando convergir em um formato de triângulo, e, como outro resultado, beneficia-se do desenvolvimento prévio de proposições teóricas para conduzir a coleta e a análise de dados”. Quanto às limitações da pesquisa a crítica é feita em relação ao método de pesquisa, altamente sujeito as análises intuitivas, primitivas, incontroláveis.

Responsabilidade Social, Balanced Scorecard, Gestão de Projetos, PMI.

Arquivo:bsc_integr_3setor.pdf

Autor: ESTENDER, Antonio Carlos, FREITAS, Líslei Rosa de, CARVALHO, André

Data: 2008-08-25

 
 

www.institutosiegen.com.br
"Que é a história senão uma fábula em que todos concordam?"
Napoleão Bonaparte